Site Overlay

Acusado de feminicídio em shopping de Niterói (RJ) vai a júri popular

A 3ª Vara Criminal de Niterói (RJ) decidiu que Matheus dos Santos da Silva será submetido a júri popular pelo crime de feminicídio contra Vitórya Melissa Mota, morta a facadas no dia 2 de junho, aos 22 anos, na praça de alimentação do Plaza Shopping, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio.

A sentença de pronúncia foi proferida pela juíza Nearis dos Santos Arce ao término da audiência de instrução e julgamento realizada na última segunda-feira (2). 

Leia mais: Para pesquisadoras, feminicídio no fim do ano não é pontual, e sim questão estrutural

Matheus e Vitórya frequentavam a mesma turma de um curso técnico de enfermagem, no Senac, no Centro de Niterói. Segundo depoimentos de amigos de turma da Vitórya, Matheus “nutria um amor não correspondido” pela jovem.  

Na decisão, a juíza apontou crime de feminicídio e determinou que o réu continue preso como garantia da ordem pública. Segundo ela, a liberdade do criminoso "atenta contra a ordem pública, além de haver a possibilidade de que venha a ser ameaçada a aplicação da lei penal”. 

Leia também: Uma mulher é morta a cada nove horas durante a pandemia no Brasil

Durante a audiência, prestaram depoimento sete testemunhas relacionadas pelo Ministério Público do Rio, e outras seis, indicadas pela defesa do acusado, além de Márcia Maria Mota, mãe de Vitórya, como testemunha do juízo.  

Orientado por suas advogadas, Matheus exerceu seu direito constitucional de permanecer em silêncio no momento de ser interrogado. Após o anúncio da sentença de pronúncia, o Ministério Público e a defesa do réu informaram que não irão recorrer da decisão. 

Fonte: BdF Rio de Janeiro

Edição: Eduardo Miranda