Site Overlay

Bolívia: Movimento ao Socialismo vence em 3 estados e vai ao 2º turno em 4 regiões

O Movimento Ao Socialismo (MAS-IPSP) reiterou seu favoritismo nas eleições regionais do último domingo (7) na Bolívia. Com mais de 50% dos votos apurados, a organização política do atual presidente Luis Arce e do ex-mandatário Evo Morales ganhou em primeiro turno o governo de três estados: Potosí, Cochabamba e Oruro. Localizadas no altiplano boliviano, estas são zonas majoritariamente camponesas e historicamente da base do MAS.

Já para o segundo turno, o agrupamento de esquerda é o favorito para o governo de Tarija, Pando e La Paz. No estado de Chuquisaca, Damian Condoni Herrera, candidato pela legenda Chuquisaca Somos Todos (CST), saiu na frente com 45,7% da votação contra 39% de Juan Carlos Leon Rodas, postulante pelo MAS, ambos irão para o segundo turno, que ocorre no dia 11 de abril.

Na mesma data, o 11 de abril, uma série de outros pleitos estão previstos: eleições gerais no Peru, segundo turno das presidenciais no Equador e votação para formar a Convenção Constituinte no Chile.

imagem12-03-2021-02-03-32 Direção Nacional do Movimento Ao Socialismo se reúne nesta quinta-feira (11) em La Paz para debater os resultados das eleições regionais / Reprodução/Twitter

A direita se impôs em Beni, com Jose Alejandro Unzueta, do Movimento Terceiro Sistema (MTS), e em Santa Cruz, estado fronteiriço com o Brasil e maior potência econômica do país, é onde Luis Fernando Camacho (Creemos), um dos protagonistas do golpe de 2019, será o novo governador.

No caso de Unzueta, o virtual vencedor já afirmou que não fará oposição à gestão de Arce. “Como partido novo não fazemos nenhum tipo de discriminação partidária, o que queremos é que nossos povos se unam para trazer progresso ao nosso estado. Não sou oposição ao MAS, nunca fui de nenhum partido”, declarou.  

Camacho ainda não se pronunciou sobre sua vitória, mas mantém uma posição crítica ao atual governo, pedindo o fim da lei de Emergência Sanitária, que entre outras medidas, facilita a compra de insumos para combater a pandemia.

APOYO A LAS REIVINDICACIONES DE LOS MÉDICOS BOLIVIANOS Hasta hoy, no nos habíamos pronunciado sobre las luchas de los gremios de la salud, para evitar que nuestra voz sea tergiversada por el momento electoral. Hoy lo hacemos:

— Luis Fernando Camacho (@LuisFerCamachoV) March 10, 2021

Prefeituras

O partido de Evo Morales também venceu importantes cidades, como Sucre, capital constitucional da Bolívia e Oruro, capital do estado homônimo. Já na cidade emblemática de El Alto, cenário de manifestações camponesas contra o golpe de Estado de 2019, a ex-presidenta do Senado Eva Copa assumirá a prefeitura, no entanto, com a nova legenda Jallala Bolivia, criada este ano, depois da sua saída do MAS.

Já na capital La Paz, o ex-ministro de Obras Públicas na gestão da presidenta golpista Jeanine Áñez, Iván Arias segue na frente com 50,3% da votação, em um universo de 64% dos votos apurados. Arias disputou o pleito pelo novo partido Somos Pueblo, fundado junto ao dirigente indígena Rafael Tata Quispe, com quem busca formar um “único bloco opositor” contra Luis Arce.

imagem12-03-2021-02-03-34 Iván Arias foi ministro de Obras Públicas de Jeanine Áñez e afirma que buscará formar um bloco opositor unificado contra Arce como prefeito de La Paz / La Razón

Repercussões no MAS

“Militantes e simpatizantes do MAS devem sentir-se orgulhosos, porque nosso movimento começou a mudar a Bolívia no aspecto econômico, político e social. Como MAS-IPSP, é uma grande alegria que o povo boliviano tenha votado pela pátria, que tenha consciência que nosso movimento é a esperança para a Bolívia”, celebrou Evo Morales em suas redes sociais.

O presidente Luis Arce e o vice David Choquehuanca ainda não se pronunciaram sobre os resultados preliminares, mas seu partido se reúne hoje em La Paz para avaliar o saldo do pleito regional.

Edição: Vivian Fernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *