Site Overlay

Brasil registra mais 1.129 mortes e 37 mil casos confirmados de covid nas últimas 24h

O Brasil registrou mais 1.129 mortes por covid-19 nas últimas 24h. Assim, o número de vítimas fatais desde o início da pandemia é de 487.401 até este domingo (13). Os dados são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Já o número de infectados está em 17.412.766, com 37.948 novos casos confirmados nas últimas 24 horas.

O ranking de estados com mais mortes pela Covid-19 é liderado por São Paulo (118.121), Rio de Janeiro (52.998) e Minas Gerais (43.124). As unidades da Federação com menos óbitos são Roraima (1.679), Acre (1.712) e Amapá (1.762).

 

#PainelConass Covid-19 Data: 13/06/2021, 18h Casos • 37.948 no último período. • 17.412.766 acumulados. Óbitos • 1.129 no último período • 487.401 óbitos acumulados. Mais informações: https://t.co/ZjV7hqzyQ0

— CONASS (@ConassOficial) June 13, 2021

 

Em relação aos casos confirmados, São Paulo também lidera, ultrapassando 3,4 milhões de casos. Minas Gerais, com mais de 1,6 milhão, e Paraná, com mais de 1,1 milhão de casos, aparecem na sequência. O estado com menos casos de Covid-19 é o Acre (84.174), seguido por Roraima (107.570) e Amapá (113.940).

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

Calendário de vacinação é adiantado em São Paulo

O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB) anunciou neste domingo (13), por meio de uma coletiva online, a antecipação do calendário de vacinação no estado paulista. Segundo Doria até o dia 15 de setembro todos as pessoas que moram no estado com mais de 18 anos estarão vacinadas com, pelo menos, a primeira dose do imunizante contra a Covid-19. Com isso, mais de 7,5 milhões de pessoas entre 40 e 59 anos entrarão no programa de vacinação ainda no mês de junho de 2021.

O calendário de vacinação conta com as próximas remessas de doses programadas pelo Ministério da Saúde. A imunização será feita com vacinas da CoronaVac, Pfizer, AstraZeneca e Janssen.

::Bolsonaro recusou vacina da Pfizer pela metade do preço pago por outros países::

João Doria disse que "essa é uma grande notícia para todos os brasileiros, paulistas e residentes em São Paulo" e afirmou que muitas vidas "poderiam ter sido salvas se o país tivessem comprado vacina antes". 

 

Edição: Vinícius Segalla