Site Overlay

Com 2,8% da população vacinada, Pernambuco negocia a aquisição de doses da Sputnik V

O governador de Pernambuco Paulo Câmara se reunirá nesta terça-feira (2) com representantes da farmacêutica União Química, produtora no Brasil da vacina Sputnik V, para negociar a aquisição direta do imunizante russo.

O início das negociações foi possível depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, na última terça-feira (23), que estados e municípios podem adquirir vacinas contra o novo coronavírus de forma independente, sem necessidade de articulação com o Ministério da Saúde. 

A Sputnik V tem dose única e apresentou eficácia acima de 90% contra o novo coronavírus na última etapa de testes. Até o momento, a vacinação no Brasil é feita com as vacinas Coronavac, produzida em parceria com o Instituto Butantan, e com a vacina da AstraZeneca, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). 

Se o acordo for aprovado, a União Química produzirá a Sputnik V em solo brasileiro, nas fábricas de Brasília, no Distrito Federal, e em Guarulhos, em São Paulo. 

Números da Covid-19 em Pernambuco

Em Pernambuco, de acordo com o vacinômetro do LocalizaSUS, foram aplicadas 275.084 doses, mas apenas 23,8% dos vacinados tomaram a segunda dose. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), a população de Pernambuco é estimada em 9.616.621 milhões de pessoas, o que significa que apenas 2,8% da população pernambucana recebeu a vacina. 

As cidades com mais imunizados no estado são Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Petrolina e Caruaru. A maioria dos vacinados são mulheres, com 178.543 doses. Os trabalhadores da saúde concentram as vacinas aplicadas no estado, com um total de 160 mil doses.

O estado tem 30.076 casos ativos da covid-19, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde. No total, 299.475 pessoas já tiveram diagnóstico positivo para a doença desde o começo da pandemia e o estado tem hoje 10.996 mortes pela doença, segundo boletim divulgado no último domingo (28).

Restrições não foram respeitadas

Um novo período de restrições para o comércio em todo o estado passou a valer neste fim de semana, mas muitos estabelecimentos não cumpriram as medidas do Governo do estado para evitar aglomerações em bares, restaurantes e outros estabelecimentos com funcionamento noturno.

Especialistas recomendam um novo lockdown, que é o fechamento completo de serviços não essenciais, para frear o avanço de mortes e doenças em todo o país, mas os governos estaduais têm optado por medidas mais amenas, como o toque de recolher. 

Em diversos locais de Pernambuco houve registros de estabelecimentos abertos fora do horário, como um campo de futebol em Caruaru, lanchonetes no Recife e festas com aglomeração de pessoas no município de Carpina. Os estabelecimentos estão sendo autuados pela Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa), Corpo de Bombeiros e Polícia Militar.

Até o dia 10 de março, todas as cidades do estado possuem restrições entre 22h e 5h. Nas cidades que integram as Gerências Regionais de Saúde de Limoeiro e Caruaru, no Agreste, e de Ouricuri, no Sertão, onde os dados são ainda mais críticos, as restrições começam às 20h. Durante esses horários, é proibido o funcionamento de estabelecimentos que não sejam ligados à serviços essenciais. 

 

Fonte: BdF Pernambuco

Edição: Rodrigo Chagas e Vanessa Gonzaga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *