Site Overlay

Covid: Média móvel de mortes no Brasil se aproxima de 1.500, a maior já registrada

O Brasil segue no caminho de novos recordes preocupantes com relação à covid-19, que demonstram a ineficiência do governo no enfrentamento à pandemia. Conforme boletim do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) divulgado neste domingo (7), a média móvel de mortes dos últimos sete dias atingiu a marca de 1.496, a maior já registrada desde o começo da crise sanitária. A média móvel é calculada a partir da soma do número de casos ou mortes do dia com o dos 6 dias anteriores.

Essa tendência de superação dos números anteriores começou no dia 24 de fevereiro, quando a média móvel ficou em 1.124, superando as marcas de 25 de julho e de 14 de fevereiro, de 1.102, as maiores registradas até então. 

No último período de 24 horas, o Conass registrou 1.086 novas mortes decorrentes da covid-19. Com isso, o número total de pessoas que perderam a vida para o coronavírus chegou a 265.411.

A queda de casos fatais em relação ao dia anterior, quando foram registrados 1.555 óbitos, pode estar relacionada à notificação dos casos, que fica comprometida no final de semana, quando os centros de saúde e laboratórios trabalham em regime de plantão, o que atrasa o repasse das informações. 

Em números absolutos, o estado de São Paulo segue registrando o maior número de mortes (61.463), seguido por Rio de Janeiro (33.717), Minas Gerais (19.523), Rio Grande do Sul (13.44) e Paraná (12.591).

Quanto aos casos, foram 80.508 novos registros no último período, somando 11.019.344 casos. Como no número de óbitos, São Paulo também está à frente, e desta vez de Minas Gerais, Paraná, Bahia, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

O Conass ressalta nos dados deste domingo que devido a um alinhamento na contabilização dos registros do Paraná, alguns casos e óbitos retroativos, do período de 07 de maio de 2020 a 05 de março de 2021, foram incluídos no último boletim, o que justifica a alta na contagem.

O que é o novo coronavírus?

Trata-se de uma extensa família de vírus causadores de doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em humanos, os vários tipos de vírus podem provocar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns, como a síndrome respiratório do Oriente Médio (MERS), a crises mais graves, como a Síndrome Respiratória Aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto recentemente causa a doença covid-19.

Como ajudar quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Edição: Geisa Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *