Site Overlay

MP da Venezuela abrirá investigação contra Guaidó por bloqueio de ativos no exterior

O Ministério Público da Venezuela anunciou, nesta quinta-feira (25), que irá abrir uma investigação contra o ex-deputado Juan Guaidó, acusado de ser cúmplice do bloqueio de cerca de US$ 7 bilhões (cerca de R$35 bilhões) em ativos do país no exterior, em nações como Estados Unidos e membros da União Europeia. 

Desde que se autoproclamou presidente interino da Venezuela, em janeiro de 2019, Guaidó passou a ser reconhecido como autoridade legítima por aproximadamente 50 países, entre eles Estados Unidos e Brasil. Em janeiro deste ano, a União Europeia oficialmente deixou de reconhecê-lo

::Em seis anos de bloqueio, Venezuela foi alvo de 150 sanções e 11 tentativas de golpe::

O líder opositor ainda controla os dois maiores bens públicos venezuelanos no exterior: a Citgo, filial da estatal petroleira PDVSA nos EUA, avaliada em US$ 7 bilhões; e a Monómeros, filial da petroquímica Pequiven na Colômbia. Os valores estariam bloqueados em contas em dólar e depósitos de barras de ouro.

Segundo denúncia do Procurador Geral da República, Tarek William Saab, o ex-deputado teria desviado ainda cerca de US$ 2 bilhões para contas pessoais no exterior. 

O ex-deputado já foi acusado de aproveitamento fraudulento de fundos públicos, traição à pátria, rebelião, terrorismo, tráfico de armas e associação para delinquir. Ao todo, o Ministério Público já abriu 25 investigações contra Juan Guaidó.

"O Ministério Público tem toda essa relação de fatos condensada em um expediente, estejam seguros de que a justiça recairá sobre os atores internos e externos que formam parte dessa organização terrorista", afirmou Saab referindo-se ao partido de Guaidó, Voluntad Popular. 

 

Edição: Vinícius Segalla

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *