Site Overlay

O auxílio emergencial precisa ser declarado? Saiba como e quem deve prestar contas

O auxílio emergencial é tributável e precisa ser registrado na Declaração do Imposto de Renda 2021, em seu valor integral, uma vez que não houve desconto do INSS sobre o benefício. Ao mesmo tempo, nem todas as pessoas que receberam o benefício estão obrigadas a prestar contas.  :: Entenda por que os pobres pagam mais impostos no Brasil ::

Por outro lado, algumas pessoas que receberam o benefício estão sendo convocadas a devolverem o valor na íntegra. O programa de computador necessário para realizar a declaração já está disponível para download, e a prestação de contas deve ser feita até o dia 30 de abril. 

Quem deve declarar?

A Declaração do Imposto de Renda 2021 é obrigatória somente aos contribuintes que atingiram o valor mínimo de rendimentos tributáveis no valor de R$ 28.559,70 no ano de 2020. 

Como declarar o auxílio emergencial?

O valor total do auxílio emergencial recebido deverá ser registrado na ficha de Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica. Para isso, o contribuinte pode encontrar o valor total no informe de rendimento, acessível no site de consulta ao auxílio do DataPrev. :: Personagem em quadrinhos discute tributação dos super-ricos de forma didática ::

O contribuinte que recebeu o auxílio emergencial também deverá informar como fonte pagadora o Ministério da Cidadania, cujo CNPJ é 05.526.783/0003-27.

Quem deve devolver o valor do benefício?

Aqueles que receberam R$ 22.847,76 ou mais em rendimentos tributáveis durante 2020, para além do auxílio emergencial, como salários, aluguel e bolsas de estudo, devem devolver o benefício. :: Como funciona a taxação de grandes fortunas em outros países? ::

Para o governo federal, quem ultrapassou esse valor não precisaria receber o auxílio e, portanto, deve devolver o dinheiro. O Fisco espera receber aproximadamente 3 milhões de devoluções do auxílio.

Para realizar a transição, o próprio sistema da Receita Federal gera uma guia de devolução, o Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF). O contribuinte também pode entrar no site do Ministério da Cidadania e gerar um Guia de Recolhimento da União (GRU) no valor a ser devolvido.

E os dependentes dos titulares da declaração?

Quando um titular inclui um dependente em sua declaração, os rendimentos de todos os nomes contidos no documento devem ser somados e declarados juntos. Caso um dependente tenha recebido sozinho um valor igual ou acima de R$ 22.847,76 em rendimentos tributáveis, este também deverá devolver o auxílio emergencial que lhe coube.  :: Reforma deveria cobrar mais impostos dos ricos e menos dos pobres, dizem economistas ::

Aqueles que já devolveram o benefício em 2020 não precisam declará-lo, uma vez que não conta como um rendimento.

Edição: Daniel Lamir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *