Site Overlay

Pernambucana lança ficção com "estratégias de sobrevivência" das mulheres na pandemia

A pandemia atingiu e segue atingindo a todas e todos, mas não de maneira igual. As famílias mais pobres são as mais prejudicadas e, na maioria das vezes, as mulheres são as mais afetadas pelos efeitos da pandemia.

Demitidas, sobrecarregadas, violentadas, as mulheres viram as desigualdades econômicas e de gênero se aprofundarem no período pandêmico. Leia também: O gênero feminino na linha de frente: são elas que combatem diariamente a covid-19

E é sobre essas mulheres que a escritora pernambucana Karuna de Paula lança “Mulher Vestida de Casa”, seu primeiro livro de ficção. A obra traz nove contos cujas histórias são “estratégias de sobrevivência” das mulheres durante a pandemia. O lançamento do livro aconteceu na última quinta-feira (10), de maneira virtual, no Instagram pessoal da autora e no canal de Youtube da Equinócio Criações.

Além dos contos, o livro “Mulher Vestida de Casa” traz um álbum visual online com obras das artistas Joana Pena, Bela Faria, Marcela Lins, Jane Pinheiro e Joana Velozo, que expôem suas interpretações do livro através de técnicas de ilustração, colagem, desenho e bordado. O álbum tem projeto gráfico de Bela Faria e apresentação de Karuna de Paula.

“Mulher Vestida de Casa” é uma publicação da Editora Titivillus, com capa e ilustrações de Joana Pena. A partir da data de seu lançamento, o livro, bem como o álbum, fica disponível gratuitamente no site da editora.

Ao longo dos meses de isolamento social, a autora entrou em contato com diversas histórias de mulheres que tiveram suas vidas impactadas pela pandemia. Ela conferiu assuntos como a jornada dupla ou tripla das mulheres ganharem mais destaque neste período pandêmico. E a casa – daquelas que pelo menos tinham casa – foi palco de experiências intensas e dolorosas para as mulheres. Leia também: Sobrecarga, desemprego e insegurança: a vida das mães um ano após chegada da covid-19

Criação da obra

Karuna de Paula conversou com mulheres acerca de suas memórias da quarentena, realizou questionário virtual, entrevistas individuais e rodas de diálogo. Esse material a ajudou a criar histórias vividas pelas personagens Bhumi, Lucy, Moara, Valquíria, Ana, Iara, Glória e Fátima, protagonistas dos contos presentes na obra.

A obra, contemplada pela Lei Aldir Blanc, traz histórias de medo, resiliência, morte, empatia, amor, esperança, cuidado e união. Elas trazem a necessidade de que as regras mudem para que mulheres possam viver com leveza, mas também tratam da capacidade de criar beleza em meio ao caos, obtendo fôlego para seguir adiante.

Autora

Mestra em História Cultural pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Karuna de Paula é escritora, pesquisadora e mãe de Lila. Ela é coautora do livro “Ópera no Recife: vozes, bastidores e espectadores”, que teve menção honrosa no Prêmio Amaro Quintas (de História de Pernambuco) da Academia Pernambucana de Letras. “Mulher vestida de casa” marca sua estreia de Karuna de Paula como escritora de ficção.

Fonte: BdF Pernambuco

Edição: Daniel Lamir e Vinícius Sobreira