Site Overlay

São Paulo terá CPI para investigar violência contra pessoas | Política

A cidade de São Paulo (SP) terá uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar casos de violência contra pessoas trans e travestis. A Comissão foi aprovada pela Câmara Municipal na terça-feira (23) a partir de requerimento apresentado pela parlamentar Erika Hilton (PSOL), a primeira mulher transexual a ser eleita vereadora na capital paulista.

Leia mais: Assassinatos de pessoas trans aumentaram 41% em 2020

Hilton também deverá presidir a CPI, que terá sete integrantes. A composição será feita de acordo com a proporcionalidade das bancadas dos partidos.

A aprovação ocorreu de maneira simbólica, após acordo que já havia sido costurado no Colégio de Líderes.

Ao comentar a aprovação da CPI em seu Twitter, a parlamentar citou Lorena Muniz, mulher transexual de 25 anos que foi abandonada sedada durante um incêndio que atingiu uma clínica de estética no centro de São Paulo (SP) – e falecida no domingo (21) – e Dandara dos Santos, em referência à travesti Dandara Kettley, assassinada em fevereiro de 2017 em Fortaleza (CE).

"CPI para investigar violência contra pessoas trans, de minha autoria, APROVADA! Serei presidenta dessa Comissão de Inquérito. É por Lorena Muniz, por Dandara dos Santos, é por todas nós!", postou a vereadora.

CPI para investigar violência contra pessoas trans, de minha autoria, APROVADA! Serei presidenta dessa Comissão de Inquérito. É por Lorena Muniz, por Dandara dos Santos, é por todas nós!

— ERIKA HILTON 🏳️‍⚧️💉 (@ErikakHilton) February 23, 2021

Após instalada, a CPI terá um prazo de 120 dias para apresentar seu relatório.

Edição: Rogério Jordão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *