Site Overlay

“Se precisar tomar vacina até na testa, eu tomo”, diz Lula no Maranhão

Em visita às obras do Hospital da Ilha, em São Luís, Lula recebeu das mãos do Secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, o colete do Sistema Único de Saúde (SUS), em ato simbólico que deu início à aplicação da segunda dose de vacinação contra a covid-19 aos operatórios da construção.

Lula condenou as atitudes de desrespeito do governo Bolsonaro aos profissionais da saúde e da ciência no país e relembrou o potencial de vacinação do Brasil, que durante o seu governo chegou a vacinas 88 milhões de pessoas contra a H1N1, em apenas três meses.  

“Eu acredito tanto na ciência que se for necessário tomar vacina na testa, eu tomo. Nós precisamos ter responsabilidade. O Brasil tem a maior capacidade de vacinação do mundo. Em três meses vacinamos três milhões de pessoas e isso demonstra a qualidade do SUS e a competência dos nossos agentes de saúde”.

Ao lado do governador Flávio Dino (PSB), Lula denunciou as atitudes que apontou como genocidas e irresponsáveis do governo Bolsonaro, que mesmo após a morte de mais de meio milhão de pessoas no Brasil, insiste em ir contra a ciência.

“Se o governo brasileiro não tem responsabilidade para cuidar de uma pandemia como essa, que em poucos meses condenou todos os povos do mundo, aqui vocês estão dando uma lição de moral a eles, para que parem de mentir, de receitar remédios que não curam e aparecer nas ruas sem máscaras. Nós queremos viver", afirmou o ex-presidente.

imagem21-08-2021-09-08-37 Visita ao local marca a trajetória do governo do Lula em defesa da saúde pública no país / SECOM / MA

O hospital visitado pelo ex-presidente será o maior complexo de saúde do Maranhão, com mais de 200 leitos na fase inicial e previsão de expansão para alcançar 400 leitos, atendendo aos serviços de urgência e emergência.

Dino explica que o hospital tem 343 trabalhadores e trabalhadoras nas obras, mas em razão da pandemia, somente uma pequena parcela deles puderam participar do encontro, que reforça o compromisso do governo com a saúde pública.

:: Rio de Janeiro: casos de covid-19 aumentam e Paes alerta que medidas restritivas podem retornar ::

"Todos que estão aqui representam segmentos. Não podemos reunir dez mil pessoas, mas convidamos os trabalhadores e trabalhadoras da construção civil que estão empenhando todos os seus esforços na construção desse hospital. Quem está construindo o hospital para o povo do Maranhão não sou eu, é o próprio povo do Maranhão!".

imagem21-08-2021-09-08-38 Lula parabeniza o empenho do governador FLávio Dino em defesa da ciência, da verdade e da vida / Ricardo Stuckert

Ao destacar o empenho do governador Flávio Dino, que compõe o Consórcio Nordeste e se destaca desde o início em ações de combate à pandemia, Lula reforçou a importância da vacinação em massa e considera que deveria ser obrigatória para toda a população.

"Esse bonito gesto que assisti aqui hoje afirma em alto e bom som a todo o povo brasileiro que o vírus é transmissível e que cada um de nós precisa se vacinar. Eu acho que deveria ser até obrigatório. Nenhuma criança gosta de tomar remédio, mas não é por isso que a mãe deixa de dar o remédio, porque ela quer cuidar e salvar a criança", explica.

:: Mineração e territórios: produção de alimentos é impactada, preços disparam e população adoece ::

Bolsonaro, que chegou a ser enquadrado pelo Superior Tribunal Federal (STF) em razão da tentativa de imposição de uma Medida Provisória que livraria agentes de punição por ações contrárias às recomendações médicas e científicas durante a pandemia do novo coronavírus foi alvo de duras críticas.

imagem21-08-2021-09-08-38 Governo Bolsonaro é investigado pela compra ilegal de vacinas e disseminação de notícias falsas sobre a pandemia  / Divulgação – Presidência da República

Em meio à pandemia, o governo federal é alvo de investigações em duas grandes frentes, pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid e pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News, que investiga uma possível rede de disseminação de notícias falsas sobre temas como a eficácia das vacinas contra o coronavírus e a existência de “tratamentos precoces”.

 

Edição: Leandro Melito