Site Overlay

Superintendente da PF que apresentou notícia-crime contra Salles é substituído

A Polícia Federal (PF) confirmou a troca do superintendente da corporação no Amazonas em nota divulgada nesta quinta-feira (15).

A saída do delegado Alexandre Saraiva já era especulada após ele apresentar, no Supremo Tribunal Federal (STF), uma notícia-crime contra o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. No comunicado é dito que Saraiva "foi comunicado da substituição no decorrer da tarde de ontem (14)".

Ele estaria sendo trocado justamente por buscar o reforço da fiscalização ambiental e entrar em rota de colisão com o ministro. O delegado Leandro Almada é uma das pessoas cotadas para ficar no lugar de Saraiva no comando da Polícia Federal no Amazonas.

No texto da notícia-crime, Saraiva faz referência à maior apreensão de madeira da história do Brasil. O delegado afirma que Salles atrapalha a fiscalização ambiental e patrocina interesses privados.

No documento, que também tem o senador Telmário Mota (Pros-RR) sendo citado, Saraiva diz que senador e ministro tiveram uma parceria com o setor madeireiro.

Segundo ele, a intenção da parceria era "causar obstáculos à investigação de crimes ambientais e de buscar patrocínio de interesses privados e ilegítimos perante a Administração Pública". 

Ele atribui dois crimes ao ministro: advocacia administrativa e impedir ou embaraçar investigação de infração penal que envolva organização criminosa.

O Supremo ainda deve decidir se irá abrir a investigação contra os dois ou se o caso será arquivado.

A notícia-crime foi encaminhada ao Ministério Público Federal (MPF) e à Direção Geral da Polícia Federal, e cita também o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Eduardo Bim.

Oposição pede investigação sobre mudança na PF

Após a notícia sobre o superintendente circular, oito líderes de partidos de oposição na Câmara enviaram uma representação ao Ministério Público Federal (MPF) pedindo para que a retirada de Saraiva seja investigada.

O pedido, que foi assinado por Marcelo Freixo (PSOL-RJ), Alessandro Molon (PSB-RJ), Bohn Gass (PT-RS), Danilo Cabral (PSB-PE), Wolney Queiroz (PDT-PE), Talíria Petrone (PSOL-RJ), Renildo Calheiros (PCdoB-PE) e Joenia Wapichana (Rede-RR), é para que, se forem verificadas irregularidades, a nomeação do novo superintendente da PF no Amazonas seja anulada.

Edição: Leandro Melito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *