Site Overlay

Torcedores dos Lakers se aglomeram em Los Angeles para celebrar 17º título da NBA

O prefeito de Los Angeles, Eric Garcetti, pediu para as pessoas não se aglomerarem nas ruas.

Apolícia e os policiais da patrulha rodoviária da Califórnia fecharam as rampas que levavam ao centro de Los Angeles depois que os Lakers derrotaram o Miami Heat no jogo 6 das finais da NBA e faturaram o 17º da liga, encerrando um jejum de dez anos. No geral, as comemorações foram tranquilas. Houve muita festa e aglomeração nas ruas da cidade, mas também algumas confusões e detenções.

Milhares de torcedores se reuniram em frente ao Staples Center, casa dos Lakers, depois que o time californiano superou o rival com facilidade, por 106 a 93, dentro da “bolha” no complexo da Disney, em Orlando, na Flórida, criada para proteger os jogadores do coronavírus, e fechou a série em 4 a 2.

“É tanta emoção agora que eu nem consigo descrever. É simplesmente uma loucura. Você sabe, já se passaram 10 anos e eu sinto que tudo isso é dedicado a Kobe (Bryant)”, festejou um torcedor, fazendo referência ao ídolo dos Lakers e lenda do basquete que morreu em acidente de helicóptero em janeiro deste ano.

As comemorações foram pacíficas, mas houve relatos de pedras e garrafas atiradas contra os policiais, segundo a imprensa local. Vídeos publicados nas redes sociais também mostraram carros acelerando e fogos de artifício sendo disparados na rua, o que é ilegal sem autorização, na Califórnia. Testemunhas disseram ao jornal Los Angeles Times que os policiais dispararam balas de borracha à certa altura, o que fez algumas pessoas fugirem.

Alguns oficiais a cavalo trabalharam para afastar a multidão do Staples Center. Mais tarde naquela noite, o grande encontro se dividiu em vários grupos e algumas pessoas foram detidas.

O prefeito de Los Angeles, Eric Garcetti, pediu para as pessoas não se aglomerarem nas ruas. “Enquanto comemoramos o 17º campeonato do Lakers, lembrem-se de que ainda não é seguro reunir-se em grupos”, escreveu o político, referindo-se à pandemia do coronavírus, em suas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *