Site Overlay

UFRPE abre processo para curso em agroecologia com vagas para agricultores familiares

A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) divulgou, nesta segunda-feira (31), o edital para o processo seletivo do curso de bacharelado em agroecologia. São 40 vagas, com 30 reservadas para pessoas ligadas diretamente ao espaço socioterritorial do campo, como agricultores familiares, assentados ou pessoas que fazem parte de comunidades tradicionais. As demais 10 vagas serão destinadas à ampla concorrência.

Além disso, considerando a lei 12.711, de agosto de 2012, 50% das vagas serão reservadas para estudantes que tenham cursado integralmente o Ensino Médio em escolas públicas, observando as condições estabelecidas no edital de seleção.

De acordo com a professora Joanna Lessa, coordenadora do curso, todo o desenho do curso foi pensado e feito com ajuda de movimentos sociais e trabalhadores do campo, o que fez com que o curso precisasse ter um enfoque maior nesse tipo de construção acadêmica.

:: Artigo | A agroecologia em tempos de covid-19 ::

“A gente ainda tem uma lógica de cursos formados para grandes produções e aí, quando a gente desenha um curso com um formato pedagógico diferente, não só a universidade, mas o estudante parte da perspectiva de que eles podem pensar seus territórios”, diz. 

Para ela, é importante entender o campo como um espaço de alimento e bem-estar de toda a população e não como um local para pensar em indústrias ou em pobreza. “O curso vai ser fundamental dentro de uma universidade que, historicamente, formou muita gente para trabalhar nas indústrias de cana de açúcar, para que estudantes possam atuar para transformar essa realidade socioambiental que a gente tem hoje”, explica.

Segundo o técnico agropecuário André Luiz Soares, da Coordenação Nordeste do Plano Plantar Árvores, Produzir Alimentos Saudáveis, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra de Pernambuco (MST-PE), o curso vem para reparar todo o processo de exclusão da classe trabalhadora campesina das universidades.

“Historicamente, quem vem a acessar esses cursos são filhos de grandes latifundiários, que representam os interesses produtivos, econômicos e sociais que até hoje dominam os grandes latifúndios. A diferença desse curso é que tem uma oportunidade de democratizar o acesso ao conhecimento”, explica.

Veja tambem: MST e Fiocruz criam projeto com ênfase no direito à saúde da população LGBT

imagem02-06-2021-09-06-43 Projeto “Saber Protege” tem como objetivo traçar um perfil sobre a situação em saúde da população LGBT do campo, além de oferecer formação sobre o direito à saúde / Divulgação

Os candidatos podem concorrer usando a nota do Exame Nacional do Ensino Médio das últimas cinco edições (de 2015 a 2019). A graduação será presencial para entrada a partir do segundo semestre de 2021 e o início das aulas está previsto para 30 de agosto.

As inscrições começam nesta terça-feira (1) e vão até 1 de julho de 2021. Os interessados devem fazer a inscrição por meio do site: http://www.agroecologia.ufrpe.br/inscrição. A primeira chamada para os classificados está prevista para 9 de julho. No mesmo dia também serão divulgados os primeiros candidatos aprovados em lista de espera.

De 26 a 28 de julho, os convocados da primeira chamada deverão fazer o envio eletrônico da documentação exigida para que o cadastramento seja feito.

Edição: Vinícius Segalla