Site Overlay

Universidade cearense inicia diálogo com a Anvisa para testar vacina contra covid

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), anunciou que o estado está em estágio avançado para ter a sua própria vacina contra a covid-19, desenvolvida pela Universidade do Estado do Ceará (UECE). A universidade vai pedir à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar os testes em humanos. 

No entanto, em nota publicada no dia 13 de maio, a Avisa informou que “até o momento, portanto, a Universidade Estadual do Ceará não submeteu à Anvisa nenhum pedido formal de autorização para estudos clínicos de vacina contra a covid-19”. De acordo com a agência, algumas informações e documentos ainda estão pendentes, a fase atual do pedido é de pré-submissão

Testes em humanos

Os testes devem ser divididos em três etapas: a primeira etapa será voltada para pessoas adultas, de 18 a 60 anos de idade, sem comorbidades. Em seguida, a segunda etapa será com pessoas acima de 60 anos, com comorbidades. Por último, os testes serão aplicados em milhares de pessoas, com perfis diversificados. 

A pesquisa é desenvolvida no Laboratório de Biotecnologia e Biologia Molecular da UECE (LBBM), liderado pela professora imunologista Izabel Florindo Guedes. Em postagem nas suas redes sociais durante a visita ao LBBM, Camilo Santana, ressaltou os avanços tecnológicos realizados pela UECE por meio da ciência e da pesquisa.

Ele informou sobre o investimento do estado na produção do capacete Elmo, que, de acordo com o governador, tem reduzido em mais de 60% de intubação de pacientes nos hospitais e que a UECE também está produzindo a criação de um respirador. Camilo falou ainda sobre a construção do primeiro hospital Universitário Estadual do Ceará que, de acordo com ele, será o maior hospital do estado.

Sobre a vacina, o governador do Ceará disse que “nesse momento, de enfrentamento a uma pandemia, é fundamental a iniciativa que esses pesquisadores estão tendo. Desenvolver uma vacina mais barata, de mais fácil aplicação na população e que a gente espera que os próximos passos serão importantes para garantir essa aplicação não só para o Ceará, mas para todo o Brasil ”.

Segundo as informações já divulgadas, a vacina cearense custará R$ 0,04 por dose, e a imunização completa será feita com duas doses. Caso o custo se confirme e receba as devidas autorizações de uso, será a vacina mais barata a ser usada no Brasil.

O estudo da vacina cearense começou em abril de 2020, tendo como ponto de partida o conhecimento já existente sobre o coronavírus aviário atenuado, semelhante ao SARS- CoV-2, e que já vem sendo utilizado há muito tempo e não tem potencial agressor em humanos

Camilo Santana afirmou que o Governo do Ceará já está articulando com outros órgãos, como a Universidade Federal do Ceará (UFC) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para construir uma corrente na área de pesquisa e desenvolvimento da vacina.

Testes em animais

A UECE informou que a primeira fase da investigação da vacina, com realização de testes em camundongos, foi concluída com sucesso e que os resultados serão submetidos à Anvisa, com o intuito de iniciar a fase clínica, já que se encontrava na fase pré-clínica, com os animais.

Fonte: BdF Ceará

Edição: Monyse Ravena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *